sábado, 25 de janeiro de 2014

Fotógrafo que perdeu olho em protesto pede a secretário fim de bala de borracha




O secretário da Segurança Pública de São Paulo, Fernando Grella Vieira, se reuniu nesta semana com o fotógrafo Sérgio Silva, 33, que perdeu a visão de um olho após ser atingido por uma bala de borracha durante as manifestações de junho do ano passado.

Na audiência, na última quarta-feira, Silva entregou ao secretário uma cópia das mais de 45 mil assinaturas reunidas em petição criada por ele na internet para pedir o fim do uso de bombas de efeito moral e balas de borracha contra manifestantes.

“Todo cidadão tem o direito de sair às ruas para reivindicar seus direitos sem temer uma repressão por parte da polícia”, diz o texto, que pede a “extinção imediata” desses armamentos.

Para Silva, a reunião com secretário da Segurança, com quem tentava falar há meses, foi positiva.

“Existe um espaço para discutir o assunto, mas só um lado tem discutido. A sociedade precisa ocupar esse espaço, apresentar ideias”.

“Meu desejo é que ninguém sinta a dor que eu senti naquele dia [13 de junho].”

Em nota, o secretário afirmou que as balas de borracha são “um dos equipamentos indicados pelas polícias como necessários para o controle de tumultos e restabelecimento da ordem pública.” A secretaria diz que cabe à polícia definir se há ou não necessidade de uso.

Grella se comprometeu a encaminhar o abaixo-assinado à Polícia Militar.

Silva passou por cirurgia em novembro passado e recebeu, no último dia 2, uma prótese ocular idêntica ao olho esquerdo, atingido pelo disparo.



Folha

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu Comentário será exibido em Breve