segunda-feira, 21 de julho de 2014

Dunga desafia a sina de técnicos que voltaram para a seleção e fracassaram


Com tudo certo para assumir novamente o cargo de técnico da seleção brasileira, Dunga vai enfrentar uma sina negativa no seu retorno ao time nacional.

O Brasil nunca teve sorte com treinadores que dirigiram a equipe numa Copa e depois voltaram para a seleção para disputar outro Mundial.

Dunga, que caiu nas quartas de final com a seleção na Copa de 2010, na África do Sul, ao perder para a Holanda, retorna focando o Mundial da Rússia, em 2018. Ele será apresentado nesta terça-feira (22).

A sina negativa começa com Vicente Feola, treinador do primeiro título mundial da seleção brasileira, em 1958, na Suécia. O time nacional foi campeão ao bater os anfitriões na final, por 5 a 2.

Depois de ver Aymoré Moreira conduzir a seleção ao bicampeonato em 1962, no Chile, Feola voltou a comandar a equipe na Copa de 1966, na Inglaterra. Mas naufragou. Em três jogos, somou uma vitória e duas derrotas. Não foi nem para as quartas de final.

Zagallo, por sua vez, triunfou em 1970, no tricampeonato conquistado no México. Mas, depois, fracassou em duas Copas. Em 1974, na Alemanha, ficou com o quarto lugar do torneio. Em 1998, Zagallo liderou a seleção até a final, mas caiu diante da França, por 3 a 0.

Já Telê Santana não conseguiu dar um título de Copa ao Brasil em nenhuma das suas duas passagens pela equipe nacional. Em 1982, ele comandou uma seleção que dava espetáculo e ficou na história pelo jogo bonito, mas sem o mais importante: a taça.

Na Copa da Espanha, o Brasil foi eliminado na segunda fase ao perder por 3 a 2 para a Itália. Em 1986, no México, a seleção, novamente comandada por Telê, parou nas quartas de final ao ser derrotada pela França, nos pênaltis.

No Mundial de 1994, nos Estados Unidos, a seleção esteve nas mãos de Carlos Alberto Parreira. E com uma vitória nos pênaltis sobre a Itália, na final, voltou a levantar a taça depois de 24 anos. Mas o sucesso de Parreira parou por aí.

Em 2006, ele voltou ao comando da seleção, que não obteve o mesmo sucesso. O Brasil caiu nas quartas de final ao perder para a França, por 1 a 0. Como se não bastasse, Parreira ainda foi o coordenador técnico de Luiz Felipe Scolari na Copa de 2014.

Felipão, aliás, é o último técnico a cair nesta sina negativa. O treinador trouxe o pentacampeonato para o Brasil em 2002, no Mundial que foi disputado no Japão e na Coreia do Sul. Mas, na Copa em casa, passou pelo vexame de tomar uma goleada por 7 a 1 da Alemanha na semifinal. O fiasco terminou com um 3 a 0 para a Holanda na disputa do terceiro lugar.

Folha Press

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu Comentário será exibido em Breve