sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Grêmio promete identificar torcedores que chamaram Aranha de “macaco”

O assessor de futebol do Grêmio, Marcos Chitolina, afirmou que o clube vai tomar providências para identificar os torcedores que fizeram manifestações racistas contra o goleiro Aranha, 33, do Santos, durante o jogo desta quinta-feira (28), pela partida de ida das oitavas de final da Copa do Brasil.

“A torcida do Grêmio não é racista. Foi um ato individual. A Arena [do Grêmio] tem totais condições de identificar os torcedores. Vamos identificar esses torcedores e tomar as medidas cabíveis”, disse Chitolina.

Aranha sofreu ofensas racistas durante a reta final do segundo tempo durante a vitória do Santos sobre o Grêmio por 2 a 0 Imagens da ESPN Brasil, que transmitia a partida, mostram ao menos uma torcedora gritando o que parecia ser ‘macaco’.

“A torcida pegar no pé é normal, mas aí começaram com palavras racistas, como preto fedido e cambada de preto. Aguentei até que começaram com o canto de macaco. Fico nervoso, desculpa a palavra, fico mais puto com essas coisas acontecendo aqui”, afirmou o goleiro, em entrevista à ESPN Brasil.

“Quando me chamaram de preto, eu disse que sou preto sim, sou negão sim. Sempre tem alguns racistas aqui no meio. Está dado o recado para ficar esperto para a próxima partida”, completou.

Em março, o volante Arouca, do Santos, também foi alvo de ofensas racistas em um jogo contra o Mogi Mirim, pelo Campeonato Paulista.

Em julgamento, no Tribunal de Justiça Desportiva de São Paulo, o Mogi Mirim foi punido a pagar R$ 50 mil de multa por causa do episódio de racismo.

Folha Press

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu Comentário será exibido em Breve