quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Família de adolescente assassinada na PB aguarda há dois anos por julgamento do culpado


Ele teria cometido outros crimes contra mulheres em 2012; homem está preso no PB1 em João Pessoa, onde aguarda o julgamentoPolícia | Em 18/09/14 às 14h59, atualizado em 18/09/14 às 15h06 | Por Redação



Ana Alice foi assassinada em 2012

No dia 19 de setembro de 2012, a adolescente Ana Alice de Macedo Valentin, na época com 16 anos, voltava da escola, quando foi sequestrada, violentada e morta em Queimadas, na Região Metropolitana de Campina Grande. Corpo dela foi enterrado na Zona Rural de Caturité e achado 50 dias depois. Desde então, a família espera pelo julgamento do acusado, Leônio Barbosa de Arruda, preso no fim daquele ano.

Desde o desaparecimento da jovem, foi formado o Comitê de Solidariedade e pelo Fim da Violência Contra a Mulher Ana Alice, composto por mais de 30 organizações rurais e urbanas. Foi por meio da pressão e da mobilização criada em torno do Comitê, que o caso Ana Alice pode ser investigado e solucionado, com a prisão dos envolvidos. Além do e mais um adolescente, que teve participação no crime e está respondendo a processo para apuração de ato infracional.

Segundo Claudionor Vital, um dos advogados da família de Ana Alice que acompanha o caso, o processo criminal está aguardando a sentença de pronúncia por parte do juiz Antonio Gonçalves Ribeiro Junior, da 1ª Vara Mista de Queimadas, a quem cabe a condução dos processos para apuração dos crimes de competência do Tribunal do Júri. “Pelas provas existentes, estamos confiantes que o réu seja pronunciado e submetido ao Júri Popular”, afirma o advogado.

Uma mobilização deve acontecer no dia 7 de novembro, data do sepultamento de Ana Alice e lembrando todas as mulheres vítimas de violência no estado. Neste dia 19 de setembro, às 19h, ocorrerá uma missa em memória de Ana Alice, na Capela da Comunidade Caixa D’água, celebrada pelo Padre Ivanilson, Pároco de Queimadas.

Outros casos
Uma nova mulher foi raptada e violentada, sendo encontrada apenas no dia seguinte com marcas de esganadura, inúmeras escoriações e amputação parcial da orelha direita. Ainda muito traumatizada, ela teria reconhecido Leônio Barbosa como autor do crime e o denunciou à polícia com a ajuda do Comitê de Solidariedade Ana Alice.
O homem foi preso e teria confessado o crime contra a vizinha e contra Ana Alice. Ele teria dito, inclusive que, no crime contra Ana Alice, não agiu sozinho, teve a ajuda de um cúmplice, à época, menor de idade.

No início de 2012, ao sair de um baile de carnaval, ele teria violentado uma jovem da cidade de Boqueirão. De posse de uma arma, obrigou que ela entrasse em seu carro e a estuprou. Um mês depois, após prestar depoimento do primeiro caso na delegacia desse município, ele teria tentado fazer nova vítima também em Boqueirão, agora uma adolescente de 14 anos que escapou do ataque, quando um amigo a libertou da tentativa de estupro.

Fuga

Leônio Barbosa está preso no Complexo Penitenciário de Segurança Máxima Romeu Gonçalves de Abrantes, mais conhecido como PB-1, em João Pessoa. Ele foi transferido para esta unidade prisional em 2014 depois de ter fugido do Presídio do Serrotão em Campina Grande, onde aguardava julgamento. Dez dias depois da fuga, e depois de muita pressão por parte do Comitê Ana Alice, o preso conseguiu ser recapturado, no mês de abril de 2014.

Do Portal Correio

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu Comentário será exibido em Breve