sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Primeiras impressões sobre Galaxy Alpha, o "iPhone da Samsung"


Samsung Galaxy Alpha
Revelado em agosto, o Galaxy Alpha, novo smartphone da Samsung, chegou nesta sexta-feira, 26, às lojas americanas. O aparelho, feito com design de metal, custa US$ 613 (cerca de R$ 1.463), tem tela de 4,7 polegadas, processador Exynos 5 Octa e 32GB de armazenamento. Basta bater o olho nele para perceber a semelhança com o iPhone 5s - só que com Android 4.4.4.

Alguns sites estrangeiros já tiveram acesso ao modelo e publicaram seus reviews sobre a novidade da Samsung. Compilamos abaixo os principais pontos levantados:

Design

Segundo o The Verge, o fato da Samsung ter optado pela moldura de metal deixa o smartphone mais sofisticado, até mesmo em relação ao Galaxy S5. O Android Policeconcorda e ressalta a semelhança com as molduras dos iPhone 5 e 5S, com os mesmos acabamentos e arredondamentos nos cantos. Ainda de acordo com o AP, se a Apple não tivesse mudado o design do iPhone 6 e 6 Plus, o Galaxy Alpha seria um concorrente de peso no design.

Além do iPhone 5 e 5S, outros dois modelos de celular foram comparados ao Galaxy Alpha: o Ascend P7, da Huawei e o HTC One M7. O BGR afirma que o Alpha é um bom rival do Ascend, mas lembra que a Huawei dificilmente enfrentaria problemas de patente no famoso embate ApplexSamsung. Já o The Verge diz que o modelo tem design "idêntico" ao M7.

Alpha x irmãos da Samsung

O The Verge chama a atenção para a ausência de recursos (como a entrada microSD) e diminuição de outros em relação ao Galaxy S5, como uma câmera de 12 megapixels (ante 16MP no S5) e bateria de 1.860 mAh (2.800 mAh no S5).

Para o Android Police, o Alpha é "provavelmente o que você desejaria que o Galaxy S5 mini tivesse sido". A tela, por sinal, é bem similar à versão mini do S5 e também usa tecnologia AMOLED, mas é um pouco maior.

Bateria

No que diz respeito à bateria, o Android Police lembra, porém, que a resolução da tela é menor (1280x720 pixels) em relação ao Galaxy S5, o que compensa o gasto de energia. Nos testes do site feitos usando Wi-Fi e HSPA+, a bateria durou em torno de um dia com uso moderado e 3 horas com uso contínuo.

A duração se repetiu nos testes do The Verge também com uso moderado. Segundo a publicação, na maior parte do tempo, o Alpha coletou notificações e ficou sincronizando serviços como o Gmail e Twitter e mesmo assim, em dias de uso máximo, como por exemplo, navegando no Maps ou tirando fotos seguidas, a bateria "segurou da manhã até a noite".

Câmera


Apesar da diferença de 4 megapixels em relação ao Galaxy S5, no geral, a câmera do Alpha não deixou a desejar para o Verge. O site diz que o "foco é geralmente rápido". Os pontos negativos são a demora para abrir o aplicativo, as opções de grid, "que são enormes, mas não terrivelmente intuitivas", e a falta de opções para ambientes sem luz, nos quais é preciso usar o flash ou "desistir de tirar uma foto útil".

O Android Police também reclama dos ambientes com pouca luz, mas elogia o uso da câmera na situação contrária. "[A] performance na luz natural é boa, e fotos tiradas com HDR ficam ótimas e com bons detalhes", defende.

Conclusão


Se você procura um smartphone intermediário e com design mais sofisticado, o Galaxy Alpha é o ideal. Contudo, se estiver procurando por algo top de linha, opte pelo Galaxy S5 ou um iPhone 6. Como lembra o BGR, o "Galaxy Alpha é o primeiro de diversos celulares que começa a entregar componentes conhecidos de smartphones 'plastificados', mas com bordas de metal". Ainda não há previsão para o aparelho chegar ao Brasil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu Comentário será exibido em Breve