quarta-feira, 29 de abril de 2015

Confronto entre PM e professores em greve deixa ao menos 50 feridos em Curitiba


Foto: Paulo Lisboa / Brazil Photo Press
Um confronto entre a Polícia Militar e professores da rede estadual de ensino do Paraná em greve deixou ao menos 50 feridos na tarde desta quarta-feira em frente à Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), em Curitiba. Manifestantes foram atingidos por balas de borracha. A PM também disparou contra o grupo bombas de efeito moral. Um cachorro da PM mordeu um integrante da imprensa, que foi encaminhado à enfermaria da Alep.

A categoria tentava impedir na Casa a votação de um projeto de lei que altera as regras da previdência do Paraná. Logo depois do almoço, o grupo de manifestantes que estava atrás de grades tentou ocupar a área interna da assembleia. Policiais que estavam no local reagiram com bombas de efeito moral. Algumas pessoas que participavam do ato lançavam pedras contra os policiais.

Alguns manifestantes foram atendidos na enfermaria da Alep. Algunsa feridos, entre eles também funcionários do Judiciário estadual, foram atendidos em uma ambulância em frente ao Tribunal de Contas, também naquela região. Segundo alguns manifestantes, a polícia teria reagido com bombas e jatos de água tão logo o grupo tentou invadir o prédio.

Os professores foram encurralados pelos policiais, que avançaram também contra os jornalistas. Um cinegrafista teria sido mordido por um cão da Polícia Militar. Uma equipe de TV foi afastada da área com jatos de água.

Os professores da rede estadual de ensino do Paraná estão decidiram pela greve no último sábado (25). É a segunda paralisação da categoria este ano no estado – a primeira aconteceu em fevereiro. Os professsores são contra o projeto de lei que altera as regras da previdência do Paraná. A categoria também reivindica aumento salarial de 13%, paulatinamente segundo o previsto no Plano Nacional de Educação.

O Globo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu Comentário será exibido em Breve