sexta-feira, 17 de abril de 2015

Dirceu pagou R$ 320 mil para saber o que falavam dele nas redes sociais, diz jornal


José Dirceu contratou uma empresa de São Paulo para saber o que as pessoas falavam sobre ele nas redes sociais, de acordo com o jornal Folha de São Paulo. Pelo serviço de monitoramento na internet, pagou R$ 320 mil, segundo a Folha. O valor consta naquebra de sigilo fiscal do ex-ministro, decretada pelo juiz federal de Curitiba Sérgio Moro.

Segundo a reportagem, Dirceu informou os gastos à Receita Federal na declaração de Imposto de Renda de pessoa física. Os pagamentos ocorreram nos anos de 2011 e 2012, em duas vezes de R$ 160 mil. A partir do ano seguinte, Dirceu foi julgado pelo STF no processo do mensalão, pelo qual foi condenado.

Em entrevista à Folha, o dono da empresa contratada, a Interagentes Comunicação Digital, Sergio Amadeu da Silveira, afirmou que o trabalho consistiu em relatórios sobre o que as pessoas falavam a respeito de Dirceu, principalmente no Twitter. Procurado, Dirceu afirmou por meio de sua assessoria que não iria se manifestar sobre o assunto. Os assessores também informaram que o serviço não tem qualquer relação com a Operação Lava Jato.

A JD, empresa de consultoria de Dirceu, está sob investigação na Lava Jato por conta da suspeita dos procuradores de que empreiteiras podem ter repassado propina ao ex-ministro simulando a prestação de consultoria. O sigilo fiscal da empresa foi quebrado por Moro. O de Dirceu também.

Época / Folha

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu Comentário será exibido em Breve