quinta-feira, 14 de maio de 2015

Menor não se arrepende de fugir com namorada: 'Amor falou mais alto'


Menor diz que passou fome e quase foi assaltado durante a aventura.



Max mostra foto tirada com a namorada em lago de Catalão (Foto: Paula Resende/ G1)

O estudante Max Felipe Santos Paiva, 15 anos, que foi encontrado após fugir com a namorada Giovana Valentin, de 15, diz que chegou a passar fome e quase foi roubado durante os quatro dias de aventura. Mesmo assim, ele afirma que não se arrepende, pois “valeu a pena”. “Vimos reportagens na internet, bateu um aperto no coração, começamos a chorar, mas não podíamos voltar atrás, não tinha outra alternativa para ficarmos juntos. O nosso amor falou mais alto”, diz em entrevista ao G1.

O casal fugiu na madrugada do último domingo (10), Dia das Mães. O adolescente pegou o carro do pai, um Honda Civic dourado, e foi para Brasília encontrar a namorada. De lá, eles tinham o objetivo de ir para Guarapari (ES), mas foram localizados pela Polícia Militar na noite de quarta-feira (13), em Araguari (MG), antes de chegar ao destino.

Juntos há quase dois meses, os adolescentes planejaram a fuga durante duas semanas. Max afirma que os pais não impediam ou restringiam o relacionamento. “O problema é a distância mesmo, queríamos uma maneira de ficar juntos. Queríamos viver juntos na casa da família dela em Guarapari”, afirma o estudante.

Durante o percurso, Max revela que eles pararam em Catalão, no sudeste de Goiás, a cerca de 330 km de Brasília. Lá, eles descansaram em um parque e tomaram banho no lago da cidade, onde tiraram, segundo o estudante, a única foto deles juntos.

O adolescente diz que dormiu apenas 20 minutos até chegar a Araguari, na segunda-feira (11). Na cidade, eles tiraram os chips dos celulares para não serem localizados.

O casal não seguiu viagem “por falta de dinheiro”, pois fugiram com cerca de R$ 300 e já não tinham mais como abastecer o carro. Eles tiveram a ideia de vender os aparelhos telefônicos para arrecadar fundos, mas o plano não foi concluído. Para aliviar a tensão, eles adotaram a vira-lata Meg em um petshop, que deu um pacote de ração para alimentá-la.

Com poucos recursos, Max conta que eles não fizeram refeições completas. Eles apenas se alimentaram de biscoitos e, um dia, se deram ao luxo de comer um pastel.

De acordo com o adolescente, eles dormiram dentro do automóvel. Na primeira noite, o casal estacionou o carro em uma praça e, na segunda, em um posto de combustíveis. Na quarta-feira (14), quando estavam em um estacionamento, quase foram assaltados. “Vimos quatro marginais se aproximando, eu peguei e acelerei”, disse o estudante. Horas depois do susto, a Polícia Militar localizou os namorados.

Após serem informados da localização dos filhos, os pais de Max e Giovana se deslocaram para o município mineiro. Para os pais do menor, rever o filho foi uma das “maiores alegrias” da vida deles. “Ainda estamos muito emocionados, mas nossas lágrimas agora são de alegria”, diz a mãe Teresa Paiva.

Embora não esteja arrependido, Max se diz “aliviado” por poder ficar com a família. Ele afirma que não fugirá de novo. “É um aprendizado em relação ao risco, a proporção que uma atitude pode tomar. Tomarei atitudes mais racionais”.




Pais estão emocionados por encontrar filho que fugiu com a namorada em Goiás (Foto: Paula Resende/ G1)


Casal de adolescentes que fugiu adotou a cadela Meg em Araguari (Foto: Paula Resende/ G1)

Informações: Paula Resende Do G1 GO

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu Comentário será exibido em Breve