terça-feira, 7 de julho de 2015

Nordeste Fruit‏ emite nota sobre retirada de dois de seus produtos das prateleiras dos supermercados em ação do Procon Natal


Abaixo a nota da empresa Nordeste Fruit LTDA, sobre retirada de dois de seus produtos das prateleiras dos supermercados , em ação do Procon Natal mais cedo.

“A Nordeste Fruit LTDA vem a público prestar esclarecimentos acerca da denúncia feita pela 24ª Promotoria de Defesa do Consumidor e recebida pelo Procon Natal sobre suposta ausência de qualidade em duas das 24 polpas comercializadas pela empresa consolidada no mercado há 20 anos.

A empresa não foi notificada por nenhum dos órgãos públicos acima citados e questiona a real necessidade de recolhimento das polpas de maracujá e uva, uma vez que os produtos estão em acordo com os padrões de identidade e qualidade (PIQ’s) e não apresentam riscos à saúde do consumidor. Sempre que foi requisitada a prestar informações sobre o padrão dos seus produtos, a Nordeste Fruit o fez.

‘A gente pensa sempre em levar o melhor ao nosso cliente. Trabalhamos com transparência e qualidade, e não à toa já estamos há tanto tempo no mercado e na condição de líder no Rio Grande do Norte’, declara a diretora Rejane Valença, que se diz surpresa com tal decisão.

A última análise feita pelo Ministério da Agricultura nas polpas de maracujá foi em agosto de 2014 e as amostras recolhidas à época pelo Laboratório Nacional Agropecuário (Lanagro-PE) comprovam que o produto está de acordo com os padrões oficiais de identidade e qualidade estabelecidos.


E de acordo com análises feitas em maio de 2015 pelo mesmo laboratório (Lanagro-PE), os índices de Sólidos Solúveis (Brix refratométrico) e Sólidos Totais apresentados pela polpa de uva também estão dentro do padrão estabelecido pelo Ministério da Agricultura – INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01, DE 7 DE JANEIRO DE 2000.


Referente a essas análises, feitas rotineiramente pelo Ministério da Agricultura, não se chegou à conclusão de qualquer irregularidade. Vale salientar que, ao contrário do que deixou a entender a nota emitida pelo Procon Natal, ácido ascórbico não se analisa em polpas de maracujá e uva.

A Nordeste Fruit dispõe de um laboratório com equipamentos de última geração para análises de seus produtos. E conta com um rigoroso processo de qualidade, desde a compra da matéria-prima até a finalização do processo, com o intuito de oferecer o que a fruta tem de melhor de forma segura aos seus consumidores.

Mediante os números e sua idoneidade, a empresa reforça o compromisso com seus consumidores lembrando que mesmo que os índices estivessem aquém do necessário, os produtos não ofereceriam risco à saúde humana. A assessoria jurídica da empresa vai tomar as providências cabíveis no sentido de apurar junto aos órgãos denunciantes qual foi o embasamento técnico e jurídico dessa medida, haja vista o flagrante desrespeito às normas do regular processo administrativo.”

Att.

Matheus Magalhães
Assessor de Imprensa – Nordeste Fruit

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu Comentário será exibido em Breve