segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Homem no Irã é condenado a ter os olhos arrancados após danificar a visão de outro homem em briga de rua

Um homem foi condenado a ter os olhos arrancados, no Irã, depois de danificar a visão de um homem durante uma briga de rua.

A sentença, que levou ao pé da letra a expressão ‘olho por olho’, foi proferida a um homem de 27 anos de idade, conhecido apenas por seu primeiro nome, Hamed, que teria ferido o olho de um homem durante uma briga, em março de 2011, quando ele tinha apenas 23 anos de idade

 


De acordo com o Conselho Nacional de Resistência do Irã (NCRI), Hamad disse ao tribunal: “Era por volta da meia-noite e eu estava sentado em casa, quando minha mãe me ligou e disse que meu pai tinha sofrido um acidente de carro. Eu corri para o local para ajudar meu pai, mas eu realmente não tinha a intenção de ferir o olho de alguém”.

Ele foi condenado a receber um sofrimento semelhante em seus olhos, em um tribunal fundamentalista do regime iraniano, em 1º de agosto. Após a sentença, Farideh Karimi, membro do NCRI e ativista de direitos humanos, disse: “É profundamente lamentável que os governos europeus não estejam protestando tais casos de barbárie no Irã. Estes atos selvagens que constituem tortura estão consagrados nas leis do regime iraniano. Tem havido um aumento acentuado em execuções no Irã durante o mandato do presidente Hassan Rouhani, nos últimos dois anos. Apenas no mês passado o regime realizou duas amputações de mão e emitiu uma sentença para os olhos de uma pessoa para ser arrancados”.

Esta semana, a mão direita de um homem e o pé esquerdo de outro foram cortados pelas autoridades, afirmou o NCRI. Um segundo prisioneiro está aguardando a mesma sentença, em breve.

Desde que Hassan Rohani chegou ao poder, em 2013, mais de 1.800 pessoas foram executadas e outras centenas foram submetidas a castigos degradantes e desumanos, tais como amputação e flagelação em público, relatou o NCRI.

Em março, um homem iraniano que desfigurou um outro permanentemente em um ataque com ácido recebeu uma punição similar. O homem, identificado apenas como Hamid S., despejou ácido sobre a vítima, Davoud Roshanaei, em 2005, fazendo-o perder um olho e uma orelha.

Um tribunal iraniano sentenciou uma ‘retribuição em espécie’, tendo o olho e a orelha removidos cirurgicamente em uma prisão, em Karaj.

Ano passado, um juiz condenou um homem cristão a ter os lábios queimados com um cigarro por comer durante o dia no mês sagrado muçulmano do Ramadã. A puniç

Jornal Ciência

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu Comentário será exibido em Breve