terça-feira, 29 de março de 2016

Após série de assaltos, comerciante quer "parceria" com ladrões


Depois de ser assaltado cinco vezes em um período de dois anos, o proprietário de uma oficina de veículos localizada na Avenida das Fronteiras, na zona Norte de Natal, colocou uma faixa em frente ao seu comércio como forma de protesto contra a criminalidade. Ariosvaldo Belchior, conhecido popularmente como Ari, disse que cansou de esperar pelas autoridades de segurança e que, em meio à impunidade, quer “se tornar amigo dos assaltantes”.



Na faixa, exposta há cerca de uma semana sobre a marquise da loja, Ari, ironicamente, felicita os bandidos que agem na região após eles terem realizado o quinto assalto contra o seu estabelecimento comercial. O último crime aconteceu há 15 dias e, assim como nos outros roubos, os criminosos agiram livremente, sem ser incomodados por policiais.

“Eles chegam no início da noite, arrombam a porta do comércio e levam tudo”, conta Ari. Entre os objetos furtados estão ferramentas usadas nos consertos de veículos, baterias de automóveis e peças para confecção de som automotivo.

O empresário ainda afirmou que, apesar de procurar a Polícia Militar após os crimes e registrar Boletim de Ocorrência, nenhuma atitude ostensiva e nem investigativa foi promovida pelo serviço de segurança pública estadual. “Não prenderam ninguém até agora”, informou.

Ainda segundo Ariosvaldo, não tem sido só a sua loja que tem sido vítima da ação dos criminosos. Ele conta que diversos estabelecimentos, residências e pessoas que transitam pela região da Avenida das Fronteiras são vítimas frequentes de assaltos e arrastões. “E ninguém faz nada para resolver isso”, reclama.

O policiamento da área está sobre jurisdição do 4° Batalhão da Polícia Militar, conhecido por “Batalhão do Potengi”. Ao todo, cerca de 300 mil pessoas vivem no bairro do Potengi, sendo um dos mais populosos da capital potiguar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu Comentário será exibido em Breve