segunda-feira, 6 de junho de 2016

Temer manda FAB deixar avião sempre disponível para transportar órgãos; reportagem revelou 153 recusas em três anos





Avião da FAB transportou coração de Jaraguá do Sul (SC) a Brasília, em de agosto de 2015
 – Andre Feitosa / Força Aérea Brasileira / Divulgação

Após reportagem do GLOBO revelar que em três anos, entre 2013 e 2015, a Força Aérea Brasileira (FAB) recusou transportar 153 órgãos que se destinariam ao transplante, o presidente interino Michel Temer anuncia nesta segunda-feira que a FAB disponibilizará um avião para o transporte de órgãos.

Corações, fígados, pulmões, pâncreas, rins e ossos se perderam por conta das negativas da Aeronáutica. O índice de recusas aumentou nesse período: de 52,7% em 2013 para 77,5% dos pedidos feitos em 2015.

Nos mesmos dias em que houve as negativas a FAB atendeu a 716 requisições de transporte de ministros do Executivo e de presidentes do Supremo Tribunal Federal (STF), do Senado e da Câmara. Em 84 casos, ministros e parlamentares voltavam para suas casas nas cidades de domicílio ou retornavam a Brasília. Esses voos transportaram 4,5 mil pessoas – as autoridades e seus caronas.

Um decreto de 2002 obriga a FAB a transportar autoridades. Já o transporte de órgãos não tem um arcabouço legal – apenas um acordo de cooperação técnica que envolve também o Ministério da Saúde, empresas aéreas privadas e a Infraero.

Na edição desta segunda, o jornal mostrou que problemas de logística levaram o Sistema Nacional de Transplantes (SNT) a recusar 982 órgãos em cinco anos – um a cada dois dias. Na lista estão 347 corações ofertados e que não puderam ser buscados por falta de transporte.

O Globo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu Comentário será exibido em Breve