segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Lava Jato e o bastidores das guitarras de Lenny Krativz e Bono Vox doadas ao Fome Zero




Em turnê pelo Brasil, em março de 2005, o roqueiro norte-americano Lenny Kravitz visitou o então presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na residência oficial, na Granja do Torto, em Brasília. O astro de rock entregou ao petista uma de suas guitarras, uma cobiçada Epiphone Flyng V preta autografada, para ser leiloada no programa Fome Zero.

Na ocasião, Lula segurou a guitarra, como se tocasse em um show de rock, e posou para o fotógrafo oficial da Presidência. O instrumento foi leiloado em maio e arrematado, por R$ 322 mil, pelo empresário Pedro Grendene – que recebeu a guitarra em setembro das mãos do ex-presidente, pai do Fome Zero, em 2003.

Em 2006, ano de reeleição, seria a vez do irlandês Bono Vox, o ainda mais pop star vocalista do U2. Doou ao Fome Zero uma guitarra para ser leiloada e gerar – além dos recursos – publicidade ao programa carro-chefe do governo Lula. O segundo leilão, no entanto, aconteceria somente um ano depois, depois de muita cobrança e questionamentos dos fãs – uma das suspeitas levantadas envolvia a guarda do instrumento, ela estaria na casa de um dos filhos do então presidente.

Dez anos depois, a Operação Lava Jato revela bastidores dessas doações destacadas na imprensa nacional e internacional. Análise de e-mails do pecuarista José Carlos Bumlai, amigo do ex-presidente, mostra que houve uma disputa entre a ONG Ação Fome Zero e o Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome pelo direito dos recursos levantados com os leilões e a preocupação da coordenadora da entidade, Fátima Menezes, em relação a cobrança da imprensa sobre a guarda da guitarra de Bono Vox.



Veja matéria completa do Estadão AQUI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu Comentário será exibido em Breve