quarta-feira, 12 de outubro de 2016

TRE de Alagoas deve cassar deputado que comprou voto e não pagou




O deputado estadual alagoano Marcos José Dias Viana, o Marquinhos Madeira (PMDB), deve perder seu mandato no próximo dia 20 por comprar votos nas eleições de 2014. A cassação de seu diploma e a perda de direitos políticos por oito anos foi encaminhada na tarde desta terça-feira (11) pela maioria do Pleno do Tribunal Regional Eleitoral de Alagoas (TRE/AL), com a aceitação da tese do Ministério Público Eleitoral (MPE) por cinco dos seis desembargadores eleitorais que já votaram ao longo do processo.
Além do desembargador-relator José Carlos Malta Marques, votaram favorável à cassação de Marquinhos Madeira pelo crime de abuso do poder econômico nas eleições de 2014 os seguintes desembargadores: Gustavo de Mendonça Gomes, Orlando Rocha Filho, Paulo Zacarias e Sebastião Costa Filho.

O julgamento foi suspenso por causa do pedido de vistas do desembargador Fábio Henrique Cavalcante Gomes e deverá retomar na sessão do próximo dia 20. O único voto divergente até agora, contra a cassação, é do desembargador Alberto Maya de Omena Calheiros.

O suplente de Marquinhos Madeira é o ex-deputado Judson Cabral (PT), que atuou como assistente simples de acusação e deixará o comando do Serveal de Alagoas para assumir os mais de dois anos de mandatos restantes nesta Legislatura.

Mas o recurso de Madeira junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) poderá dar sobrevida a seu cargo, enquanto aguarda o julgamento na instância superior.



Diário do Poder


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu Comentário será exibido em Breve