sábado, 26 de agosto de 2017

Império de Mayweather, Las Vegas torce por McGregor na luta do ano




Floyd Mayweather construiu o seu império em Las Vegas. Fez mais da metade de suas lutas nos cassinos locais e reside na “Cidade do Pecado”. É por lá que desfila com os seus carrões e torra a fortuna que chegou a US$ 1 bilhão este mês. Quando pisar no ringue da T-Mobile Arena neste sábado, porém, será impossível dizer que “Money” se sentirá em casa. Do outro lado estará Conor McGregor, e a “Sin City”, também domicílio do UFC, escolheu o córner do irlandês, para quem torcerá na luta mais esperada do ano nas artes marciais.

Desde junho, quando foi oficializado que o multicampeão voltaria da aposentadoria para encarar a estrela do MMA em uma luta de boxe, os fãs ficaram com McGregor. E Las Vegas, na sexta-feira, na pesagem oficial, mostrou mais uma vez que os irlandeses não irão abandonar o seu herói. Em maioria expressiva, eles vaiaram Mayweather e fizeram a festa no quintal do americano, que contra a parede, repetiu um mantra que o seguiu nos últimos dois meses: torcida não vence luta.

– Eu não me preocupo com isso. “Trash talk” não vence lutas. Lembre-se que eu obviamente sou melhor no “trash talk”, porque tudo o que já saiu da minha boca, eu provei lá dentro do ringue com as minhas habilidades e as minhas mãos. Todos eles parecem fortes até me enfrentarem. De novo, senhoras e senhores, todo mundo deve saber disso: nós apreciamos os fãs deles e eu aprecio os meus, mas quando chegar a hora, os fãs não podem lutar por você, apenas os dois lutadores. E não vai durar os 12 rounds. Guarde minhas palavras – repetiu Mayweather.

De fato, apesar da maioria nas arquibancadas, Conor é o azarão nas casas de apostas e na opinião dos especialistas. Aos 29 anos, o único homem a ter dois cinturões do UFC ao mesmo tempo fará sua estreia no boxe profissional. Subirá ao ringue para levar R$ 220 milhões, mas terá do outro lado uma lenda da “Nobre Arte”, invicto em 49 duelos. Aos 40 anos, Floyd se aposentou em 2015, mas foi seduzido pelos números surreais dessa luta, que irá movimentar R$ 1,9 bilhão entre bolsas de luta, vendas de pay per view, casas de apostas e outras questões, batendo um recorde atrás do outro. Com hotéis lotados e casas de apostas a todo vapor, Vegas sorri e espera para ver quem levará a melhor. McGregor, confiante como sempre, mudou até seu prognóstico.

– Eles podem esperar o que sabem de mim: não duvide de mim, nunca. O que eu digo que eu vou fazer, eu farei. E eu mudei de ideia. Antes iria nocautear Floyd Mayweather no segundo round, mas agora acredito que vou terminar essa luta no primeiro. Ele não passa do primeiro round. Ele vai ficar inconsciente no início, essa é a minha previsão. Eu acredito. Como eu disse eu sinto, se ele cair e levantar, então eu posso jogar mais… Ele vai ficar inconsciente logo, se ele conseguir se levantar e sobreviver, nós vamos jogar até ele aguentar – aposta Conor.

Quando o gongo soar e o primeiro round começar, será a materialização de uma luta que está na cabeça dos fãs desde 2015. Presidente do UFC, Dana White ajudou a tornar isso real. No início, relutou. Depois, deu esse presente aos torcedores e aprendeu com o tempo que é impossível duvidar de McGregor.

– É uma luta histórica. Sabe, o que eu amo nessa luta é que essa não é uma luta que eu tentei promover, não é uma luta que eu tentei fazer. É uma luta que eu relutei muito no começo. Mas, por conta da imprensa e dos fãs, essa luta foi feita. Você sabe como eu sou, eu adoro dar às pessoas a luta que elas querem ver. Essa é uma delas, então vamos lá. Ele é o tipo de cara que acredita 100% em si mesmo, nas suas habilidades. Mesmo na luta contra o José Aldo, ele estava falando que iria nocautear o José Aldo no primeiro round e todo mundo estava dizendo que isso era ridículo, mas a luta durou 13 segundos. Então eu parei de duvidar do Conor McGregor – conta White.

CEO da Mayweather Promotions, Leonard Ellerbe foi a outra ponta da negociação. Velho conhecido de Floyd, ele fez uma ponderação curiosa. Para ele, Conor lembra Mayweather quando mais novo. De fato, a forma de se expressar, o “trash talk”, as roupas e as vitórias são rotina na carreira dos dois.

– Conor é um cara extraordinário. Ele é super engraçado, eu sempre presto atenção em tudo o que eu vejo sobre ele porque ele me lembra muito o Floyd. Qual a melhor forma de iniciar isso do que com a maior estrela do UFC e a maior estrela do boxe? – pergunta Ellerbe.



COMBATE

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu Comentário será exibido em Breve