sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

“Daqui a pouco teremos que andar com um manual de comportamento. Se o mundo caminhar para o politicamente correto, vai ficar chato”, diz atriz Gabriela Duarte



Foto: (Patrick Sister/Divulgação)

Há oito anos sem papel de relevo na Globo, dois deles morando nos Estados Unidos, Gabriela Duarte volta à emissora em Orgulho e Paixão, novela das 6 inspirada nos romances de Jane Austen que estreia em março. Viverá uma baronesa do café que, na década de 20, cuida sozinha do filho e dos negócios, em um ambiente dominado por homens. 

No que concerne às pautas feministas, porém, a atriz se diz “moderada”. Simpatiza com a francesa Catherine Deneuve, que aderiu ao recente manifesto francês que pede calma na hora de distinguir assédio sexual de cantada imprópria. “Entendi o que ela quis dizer. Existem papeis que a mulher gosta e precisa desempenhar. Nós não podemos descaracterizar nenhum dos dois movimentos, mas também não dá para levar tudo ao pé da letra. Daqui a pouco, teremos de andar com um manual de comportamento. Se o mundo caminhar para o politicamente correto demais, vai ficar chato e complicado”, diz. Orgulho e Paixão tomará o lugar de Tempo de Amar — novela em que trabalha sua mamãe, Regina Duarte. “É realmente uma passagem de bastão”, celebra Gabriela.

Veja