sábado, 26 de janeiro de 2019

MG tem mais de 300 locais de contenção de rejeitos inseguros, diz superintendente do Ibama




Foto: Isac Nóbrega/PR

Há um ano no comando do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) em Minas Gerais, Julio Cesar Dutra Grillo lamenta em entrevista à BBC News Brasil ser sempre voto vencido na luta para não mais autorizar a expansão ou construção de novas barragens de rejeitos no Estado.

O superintendente do Ibama em Minas diz que já havia alertado, em dezembro do ano passado, que barragens de rejeitos em Brumadinho, entre elas a da Vale que se rompeu na sexta-feira, “não ofereciam risco zero”.

O aviso de Grillo foi feito durante reunião extraordinária da Câmara de Atividades Minerárias. A discussão acabou com a aprovação, de forma acelerada, da licença para a continuidade das Operações da Mina da Jangada e das operações da Mina de Córrego do Feijão, cujo rompimento matou pelo menos nove pessoas e mobilizou uma multidão em busca de pessoas desaparecidas em meio a um mar de lama.

Na reunião que aconteceu em 11 de dezembro de 2018 na sede da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, houve uma acalorada discussão com a participação de dezenas de moradores que se manifestaram contra as licenças por causa de possíveis abalos hídricos na região.

Mas o resultado foi pela aprovação, com folga, das licenças: 8 votos contra 1, com 1 abstenção. Grillo se absteve.

Ele explica que era favorável ao descomissionamento [eliminação] de uma barragem da região. Mas que esse descomissionamento estava atrelado à continuidade de produção de outras minas, e era justamente isso que colocava em risco a região.

“Optei pela abstenção, mas fiz questão de registrar os dois lados”, explica Grillo. Ele afirma que, na ocasião, ressaltou que projeto trazia algumas novidades positivas como a eliminação da barragem, mas que a região de Casa Branca tem algumas barragens sem risco zero e que os moradores tinham razão em se preocupar.

“Em uma negligência qualquer de quem está à frente de um sistema de gestão de risco, aquilo rompe. Se essa barragem ficar abandonada alguns anos, não for descomissionada, ela rompe, e isso são 10 milhões m³, é um quarto do que saiu de Fundão (em Mariana, que rompeu há três anos), inviabiliza Casa Branca e inviabiliza ao menos uma das captações do Paraopeba”, afirmou Grillo na região, conforme o registro da ata da reunião extraordinária.

Mais de 300 barragens em risco

Grillo é categórico em dizer que há mais de 300 barragens de rejeitos em Minas Gerais que não seguras.

“Ou param de usar essa técnica ou há o risco de cair na cabeça das pessoas. Mesmo as que não estão mais recebendo rejeitos não são seguras e, ao longo do tempo, podem despencar na cabeça das pessoas”, diz, emendando que há outras técnicas mais eficientes e que, inclusive, já estão sendo testadas pela própria Vale.

Segundo Grillo, contudo, as técnicas alternativas são mais caras, e os órgãos de licenciamento têm autorizado projetos e novas intervenções “do jeito que as mineradoras querem”. “Essas votações têm sido atropeladas”, afirma Grillo.

De acordo com a Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Minas Gerais (Semad), o Estado tem 688 barragens, das quais 677 têm estabilidade garantida por auditorias. Em 4, o auditor não apresentou uma conclusão, e 7 tem estabilidade não garantida pelo auditor. “A quantidade de barragens com estabilidade garantida aumentou de 96,7% em 2017 para 98,4% em 2018”, afirmo a Semad.

Para o superintendente do Ibama em Minas, contudo, a melhor forma de evitar tragédias como a de Brumadinho é uma nova legislação. “Infelizmente, está parado na Assembleia de Minas onde prevalece os interesses das mineradoras. É muito melhor reduzir o lucro em alguns poucos porcentos e evitar tragédias se repitam”, afirma.

Questionado se a barragem em Brumadinho se rompeu porque, mesmo sem estar recebendo rejeitos, pode ter havido alguma intervenção no local depois do licenciamento, Grillo diz ainda não ser possível saber a causa.

Mas afirma que, “independente de qualquer ação no local, barragens como a que se rompeu não são estáveis”. “Ao longo do tempo, elas podem se romper. Só não acontece toda hora porque tem gente vigiando, e a Vale costuma ter atenção. Mas o risco não é zero”, diz Grillo.

BBC Brasil

Brumadinho sobe para 40


Subiu para 40 o número de mortos por causa do rompimento da barragem da Vale em Brumadinho, segundo o Governo de Minas Gerais. Oito deles já foram identificados.

Até o momento, 366 pessoas foram resgatadas, sendo 221 funcionários da Vale e 145 terceirizados. Há 23 pessoas hospitalizadas.

O trabalho de monitoramento da barragem 6 continua. As atividades de resgate foram suspensas às 20h e serão retomadas às 4h deste domingo (27).

Segundo informações do governo mineiro, o Corpo de Bombeiros mantém 205 homens no local, sendo que 175 são especializados no trabalho de resgate de vítimas de soterramento.

A Vale será multada em R$ 99 milhões por responsabilidade nos danos causados pelo rompimento da barragem, informa também o governo do estado.

Segundo o secretário de Meio Ambiente, Germano Vieira, a empresa deverá ser notificada até segunda-feira (28) e, a partir de então, terá 20 dias para recorrer.

Folhapress

terça-feira, 8 de janeiro de 2019

Com baixa audiência e troca de apresentadores, Vídeo Show chega ao fim após 35 anos na Globo




Joaquim Lopes e Sophia Abrahão – Artur Meninea/Gshow

Após um ano turbulento, com diversas mudanças e seguidas quedas de audiência, o Vídeo Show chega ao fim após 35 anos. O anúncio foi feito nesta terça-feira (8) pela Globo, que passará a transmitir a Sessão da Tarde mais cedo, a partir das 14h.

No ar desde 1983, o programa passou por diversas reformulações e teve como Miguel Falabella, Marcelo Tas e Cissa Guimarães na apresentação. A saída de Otaviano Costa, em junho do ano passado, levou a uma acentuada queda da audiência, fazendo com que o programa fosse o que mais acumulou derrotas para a Record em 2018.

Segundo a coluna Telepadi, na comparação dos 29 primeiros dias sem Otaviano e os 29 dias com a participação dele, o Vídeo Show perdeu 27 vezes para o quadro A Hora da Venenosa, durante o Balanço Geral, da Record.

No último semestre, passaram pelo Vídeo Show as ex-BBBs Ana Clara, Vivian Amorim e Fernanda Keulla, o influenciador digital Matheus Mazzafera e o humorista Maurício Meirelles, mas a audiência não mostrou sinal de recuperação. Atualmente, estão no comando do vespertino Sophia Abrahão e Joaquim Lopes.

A última exibição do Vídeo Show acontecerá na sexta-feira (11).

F5 – Folha de São Paulo

quinta-feira, 3 de janeiro de 2019

Com “Correios” e “Bombeiros”, taxas de 2019 relacionadas a veículos já estão disponíveis no site do Detran-RN


Os proprietários de veículos automotores do Rio Grande do Norte já podem conferir no site do Departamento Estadual de Trânsito do RN (Detran) os valores e boletos da taxa de licenciamento referente a 2019. Este ano o Detran passou a não emitir o carnê físico de taxas e impostos relacionados aos veículos e o usuário deve buscar a emissão dos boletos via site do Departamento, unidades físicas do Detran distribuídas no estado, agências do PágFácil, Banco do Brasil ou por meio do aplicativo oficial do Detran produzido para smartphones.

Além da taxa de licenciamento de veículo automotor, que é a única que é administrada pelo Detran, o cidadão pode emitir os boletos bancários relativos ao IPVA (de responsabilidade da Secretaria Estadual de Tributação), seguro DPVAT (Banco do Brasil – Seguradora Líder), e a Taxa de Proteção contra Incêndio, Salvamento e Resgate em via Pública, que é destinada ao Corpo de Bombeiros Militar do RN.

Uma boa notícia é a redução média de aproximadamente 64% no valor do seguro DPVAT. Um exemplo são os veículos considerados de passeio, que pagaram R$ 45,72 em 2018, e neste ano podem quitar o seguro no valor de R$ 16,27.

Outro ponto, é que neste ano o proprietário de automóvel que vai receber o Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV) em seu endereço deve quitar uma taxa de R$ 7,00 destinada aos Correios, porém o subcoordenador de Informática do Detran, Hugo Guimarães, informou que o valor do envio da correspondência é extinto para aquele usuário que optar por receber o CRLV em um dos postos de atendimento do Detran que emitem o documento. “Basta que o cidadão se dirija ao posto do Detran e solicite o documento que a taxa de envio dos Correios não será cobrada”, explicou.

Para ter acesso a página de emissão dos boletos do Detran é simples, basta que o usuário vá até o endereço eletrônico da instituição digitando www.detran.rn.gov.br. Com a página aberta, o cidadão clica no ícone “Consulta de veículos e boletos”. Logo em seguida é mostrada uma página onde é possível digitar a numeração da placa e do Renavam do veículo a ser consultado. Dessa forma é possível ter acesso ao ambiente online onde fica disponível os boletos referentes a taxa de licenciamento, IPVA, DPVAT, Taxa dos Bombeiros, além de possíveis débitos de infrações de trânsito relacionadas ao veículo consultado.

Um outro ponto positivo é a possibilidade do proprietário pagas as taxas no banco de sua escolha. A medida implantada pelo Detran funciona para os débitos referentes ao licenciamento, IPVA do veículo e Taxa dos Bombeiros. É só clicar no imposto que deseja efetuar o pagamento, e imediatamente é aberta uma nova tela com as opções de emissão de boleto direcionado ao Banco do Brasil ou as demais instituições bancárias.

Entenda taxas dos “Correios” e “Bombeiros”


As duas novas taxas presentes no IPVA já provocaram indignação dos proprietários de carros e motos.

A dos Correios, que surge como opcional, dá ao motorista a possibilidade de se livrar da taxa ao buscar seu documento diretamente na sede do órgão.

No caso dos Bombeiros, o valor é obrigatório, e se estenda aos proprietários de ônibus, transportes de cargas perigosas e não perigosas. Apresenta-se como “proteção contra incêndio, e salvamento em via pública para veículos automotores. Vai custar R$ 15 para motocicletas e R$ 25 para carros de passeio.

Em reportagem, a Tribuna do Norte destaca que o convênio firmado entre Detran e Bombeiros deverá custar R$ 20,5 milhões anuais aos proprietários de carros e motos no Rio Grande do Norte.

Nina Souza assume presidência da Câmara de Natal por 15 dias; Paulinho Freire substitui prefeito Álvaro Dias, afastado por viagem oficial



A vice-presidente da Câmara Municipal de Natal, a vereadora Nina Souza (PDT) será empossada, na próxima segunda-feira, 07, presidente da Câmara Municipal de Natal.

Nina ficará à frente do cargo por 15 dias. Durante este período, o atual presidente da Casa, vereador Paulinho Freire (PSDB), assumirá a prefeitura, devido ao afastamento temporário do prefeito Álvaro Dias (MDB), que viajará em compromisso oficial como representante da capital potiguar em um evento na Holanda de divulgação turística.

“Durante esse período, vamos conduzir a Câmara com a mesma dedicação de todas as atividades que assumimos, para prestar o melhor serviço ao povo de Natal”, declarou a vereadora.


Reprodução do blog do BG

Potiguar é campeão em luta de MMA nos EUA, garante cinturão e ganha prêmio de US$ 1 milhão




Philipe Lins golpeia Josh Copeland na final do peso-pesado do PFL 11 — Foto: Ryan Loco – PFL

A noite do 31 de dezembro deixou dois brasileiros milionários, Natan Schulte e o potiguar Philipe Lins. Em Nova York, o Professional Fighters League realizou sua última edição do ano de 2018, tendo como palco, o Hulu Theater na Madison Sqaure Garden Arena, e o card teve quase todas as suas lutas valendo cinturões.

Na luta principal da noite na Professional Fighters League e último combate do ano pela organização, válida pela categoria dos pesos meio-médios, o russo Magomed Magomedkarimov venceu o até então favorito norte americano Ray Cooper III por finalização com uma guilhotina no segundo round e conquistou o cinturão da divisão até 77 kg e de quebra ganhou um cheque de US$ 1 milhão dólares.

Os brasileiros no último evento da Professional Fighters League em 2018:

Três brasileiros entraram em ação em busca do cinturão e dois se deram muito bem. O catarinense Natan Schulte cumpriu o status de promessa e derrotou o russo Rashid Magomedov por decisão unânime. Schulte ganhou a cinta da categoria peso-leve e embolsou US$ 1 milhão de ‘trumps’ .

O potiguar Philipe Lins também conquistou o cinturão (na categoria peso pesado) e US$ 1 milhão de ‘doletas’ ao nocautear o norte americano Josh Copeland.

O peso-pesado Philipe Lins teve pela frente o ex-UFC Josh Copeland. O americano mostrou muita resistência, absorvendo golpes duros do brasileiro desde o início da luta. Após dois rounds de muita trocação, com o brasileiro conectando mais golpes, mas sem causar muitos danos, Lins conseguiu seu primeiro golpe realmente efetivo no fim do segundo round.

No terceiro round, mesmo com um corte abaixo do olho esquerdo, Lins manteve o ritmo ofensivo e conectou uma sequência de socos em Copeland, que incrivelmente resistiu sem cair até o fim do round. No quarto round, o brasileiro conseguiu travar Copeland no clinche do muay thai e acertou diversas joelhadas no corpo do americano, emendando um soco fortíssimo na cabeça, que obrigou o árbitro Dan Miragliotta a interromper a luta.