segunda-feira, 26 de abril de 2021

400 mil perderam emprego com o fechamento de bares e restaurantes em SP durante a pandemia



Foto: Karol Moya/Divulgação

Cerca de 12 mil bares, restaurantes e lanchonetes fecharam suas portas de vez desde março de 2020 somente na cidade de São Paulo. A principal causa apontada são as restrições de funcionamento impostas pela pandemia de coronavírus. Os dados são da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel-SP).


Em todo o estado de São Paulo, das 250 mil empresas do setor, 50 mil deixaram de existir durante a pandemia. Do 1,8 milhão de empregados do ramo no estado, 400 mil perderam seus postos de trabalho no mesmo período.

O delivery, por outro lado, se consolidou na capital e manteve boa parte dos estabelecimentos funcionando mesmo que de portas fechadas. Entre março e dezembro de 2020, o número de novos restaurantes cadastrados no iFood, por exemplo, cresceu 78% no estado.

Entre os estabelecimentos que conseguiram reabrir depois de 104 dias fechados entre março e julho de 2020, estima-se que de 10% a 15% deles irão colapsar. Cerca de 85% dos negócios correm risco de fechar se não houver auxílio para o pagamento de salários de funcionários e redução de jornada, de acordo com a Abrasel-SP.


É o caso do bar Ó do Borogodó, em Pinheiros, na Zona Oeste de São Paulo. Desde 2001, o local é famoso por receber rodas de samba. De acordo com a proprietária, Stefânia Gola, antes da pandemia o estabelecimento já estava com dificuldades, mas com equipe pequena e impostos parcelados, a situação estava sob controle.
Durante a pandemia, ela tentou fazer empréstimos, mas não conseguiu. A duas semanas do despejo, Stefânia fez um financiamento coletivo para conseguir pagar o aluguel. O sucesso foi tamanho que ela conseguiu até mesmo diminuir a dívida, que chegou a R$ 500 mil.

G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu Comentário será exibido em Breve